Press "Enter" to skip to content

Transtorno da Personalidade Borderline

O que é o Transtorno de Personalidade Borderline?

O Borderline é um distúrbio de personalidade grave e complexo. Seus sintomas instáveis podem dominar o paciente de forma súbita e caótica. Dentre seus aspectos, a instabilidade é a mais notável, atingindo as relações interpessoais, a autoimagem e os sentimentos de afeto e impulsividade.

Os sintomas costumam se acentuar no período entre a adolescência e a vida adulta. Em média, de 1,6% a 5,9% da população pode apresentar o transtorno. A prevalência costuma diminuir entre as faixas etárias mais altas, e normalmente o sexo feminino é mais acometido pelo distúrbio.

O indivíduo que apresenta o Transtorno de Personalidade Borderline manifesta dificuldade em ficar sozinho, esforços para evitar o abandono, tentativas suicidas e perturbação da identidade. Ele também pode sofrer com comorbidades, desenvolvendo outros transtornos como depressão, ansiedade, transtornos de humor, distúrbios alimentares e abuso de drogas.

Sintomas:

Os sintomas, basicamente, são representados por muita instabilidade emocional, desregulação afetiva excessiva, sentimentos muito intensos e medo do abandono. Isso costuma levar a comportamentos impulsivos perigosos, incluindo atos autolesivos e tentativas de suicídio.

Pessoas com o Transtorno de Personalidade Borderline podem explodir a qualquer momento, apresentando alterações súbitas e expressivas de humor; também configuram relações interpessoais intensas e instáveis. Outros sintomas são:

  • Esforços desesperados para evitar abandono real ou imaginário;
  • Relacionamentos interpessoais instáveis e intensos, com alternância entre extremos de idealização e desvalorização;
  • Perturbação da identidade, com instabilidade sobre a autoimagem ou a percepção de si mesmo;
  • Impulsividade em áreas potencialmente autodestrutivas, como gastos, sexo, abuso de substâncias, direção irresponsável, compulsão alimentar;
  • Recorrência de comportamento, gestos ou ameaças suicidas;
  • Comportamento auto-mutilante;
  • Instabilidade afetiva;
  • Sentimentos de vazio;
  • Raiva intensa e inapropriada e dificuldade em controlá-la;
  • Ideação paranoide transitória associada a estresse.

Depoimentos

Veja abaixo o relato de pessoas que sofrem com o Transtorno de Bipolaridade Borderline:

Causas do Transtorno de Personalidade Borderline

As causas compreendem fatores genéticos, ambientais e experiências emocionais traumáticas. Situações de abuso ou negligência agravam a possibilidade de desenvolvimento do transtorno. O Borderline é cinco vezes mais frequente em parente biológicos de 1º grau de pessoas com o transtorno do que na população geral.

O ambiente familiar durante a infância tem bastante impacto no paciente com Borderline. Muitos deles relatam negligência e abusos físicos e sexuais dentro da família. Tanto a instabilidade quanto a educação muito autoritária podem se tornar fatores de risco no desenvolvimento futuro do distúrbio.

Tratamento para o Transtorno de Personalidade Borderline

mulher com transtorno de personalidade borderline

O tratamento inicial para o Borderline é a psicoterapia, que ajudará o paciente a controlar o seus impulsos e entender o seu comportamento. Foca, principalmente, nas questões de suicídio e automutilação, como prevenção. Além disso, também tenta desenvolver novas habilidade, como consciência, eficácia interpessoal, cooperação adaptativa e identificação e regulação de reações emocionais.

No caso do Transtorno de Personalidade Borderline, o terapeuta deve ser mais ativo, mais próximo. Assim, ele poderá ajudar e evitar muitos dos sofrimentos da pessoa com o distúrbio. A família deve buscar especialistas com este perfil e com disponibilidade de tempo. Muitas vezes, o portador de Borderline precisa de terapia por tempo indeterminado.

Em adição à isso, também pode ser feita a terapia familiar. No âmbito geral, a família tende a abandonar o paciente ou se tornar super protetora. Nesses casos, a terapia pode ajudá-la a compreender o sofrimento do portador do distúrbio, tornando a relação mais fácil e harmoniosa.

A medicação, no Transtorno de Personalidade Borderline, não consegue surtir efeito sob o sentimento de vazio crônico, as perturbações de identidade e o medo de abandono. No entanto, pode agir em sintomas isolados como a depressão, os problemas interpessoais, a raiva e a impulsividade. Então, são adicionados ao tratamento os antidepressivos, estabilizadores de humor ou antipsicóticos.

O Borderline, normalmente, demora até ser diagnosticado. Em alguns casos, pode levar até dez anos para ser descoberto. Quanto antes o diagnóstico for feito, melhor será a vida do paciente com o tratamento adequado.

Viver uma vida de mais qualidade, sem excessos e com alimentação regrada pode ajudar. Praticar exercícios físicos, ter uma higiene saudável e alimentação adequada são indicados para tornar a rotina mais saudável e livre de gatilhos. Grupos de apoio também estão disponíveis e são recomendados.

Como Prevenir esse Transtorno?

consulta com psicólogo

Em primeiro lugar, pensar em intervenções sociais para prevenir casos de abuso infantil, violência doméstica e abuso de substâncias na família pode contribuir para a prevenção do Transtorno de Personalidade Borderline e também para outros distúrbios psicológicos que tanto vemos hoje, como a depressão, a ansiedade e a bipolaridade.

A prevenção específica do Borderline se concentra no reconhecimento dos traços da doença o quanto antes, seguido logo de tratamento intensivo. Este distúrbio é impiedoso com quem o porta. As reações abruptas no humor e nos sentimentos são incontroláveis, e ele precisa lidar com a impulsividade, irritabilidade, dificuldade em controlar a raiva, sentimento de vazio, desespero, pânico e isolamento frequentemente.  Incentivar o paciente a procurar a terapia é muito importante.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *