Press "Enter" to skip to content

A Saúde Mental e o Bruxismo: Entenda essa relação

O Bruxismo é um distúrbio que consiste no ato de ranger ou apertar os dentes, sendo considerado uma desordem funcional. Embora seja mais comum durante o sono, o problema também pode ocorrer durante o dia, levando o nome de briquismo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% das pessoas na população mundial têm essa condição. No Brasil, dados oficiais apontam que o Bruxismo atinge 40% da população.

Sintomas

Os sintomas de Bruxismo são bem específicos, uma vez que a condição é caracterizada pelo ranger de dentes involuntariamente, principalmente durante o período da noite. No entanto, pode ser bastante difícil para uma pessoa identificar os sinais e a existência do distúrbio, pois geralmente não percebemos o que fazemos enquanto estamos dormindo.

Dessa forma, diversos outros aspectos podem ser notados e relacionados com a condição, como:

  • Ranger ou bater os dentes, que pode ser tão alto ao ponto de acordar uma pessoa que está dormindo ao lado;
  • Dentes achatados, fraturados, lascados ou soltos;
  • Esmalte dental desgastado, expondo camadas mais profundas do dente;
  • Aumento da sensibilidade dos dentes;
  • Dor no rosto;
  • Dor na mandíbula;
  • Dor desencadeada pelo bruxismo, que pode ser confundida com dor de ouvido;
  • Dores de cabeça;
  • Zumbido no ouvido;
  • Estalos ao abrir a boca;
  • Recuos de língua;
  • Alterações no sono.

Causas

mulher com dor nos dentes por conta do bruxismo

A causa exata de Bruxismo ainda é desconhecida pelos especialistas, mas acredita-se que alguns fatores, principalmente outras condições de saúde, como a Ansiedade, podem estar por trás do problema. Além disso, é importante ressaltar que pessoas com personalidade mais agressiva e competitiva têm mais chances de desenvolver o ranger de dentes à noite. Em geral, a condição é mais comum em crianças e geralmente desaparece na adolescência.

Dessa forma, os principais desencadeantes da condição são:

  • Exposição constante a ambientes estressantes que geram sensações de ansiedade, raiva, frustração e tensão.
  • Má oclusão, que consiste no mau alinhamento dos dentes superiores ou inferiores.
  • Apneia do sono, caracterizada pela dificuldade de respirar durante o sono. Tem como causa o relaxamento dos músculos da garganta e fechamento das vias respiratórias. Além de provocar um ronco e complicações para atingir os estágios mais profundos do sono, esse distúrbio pode influenciar no ato de ranger os dentes durante a noite.
  • Complicação desencadeada por dores de ouvido ou dores de dente, principalmente em crianças;
  • Refluxo, que ocorre quando o ácido do estômago ou a bile irritam a mucosa. Quando acompanhado de azia por um longo período de tempo, o problema pode indicar complicações mais graves e piorar depois de refeições ou ao se deitar. Esses fatores também podem influenciar no aparecimento de Bruxismo.
  • Efeito colateral de medicamentos para doenças psiquiátricas e transtornos mentais, como antidepressivos, por exemplo.
  • Complicação gerada pela existência de outras doenças, como a de Parkinson.
  • Uso de algumas substâncias estimulantes à noite, como a nicotina presente no cigarro, cafeína e drogas.

Efeitos na saúde mental

mulher com dor de cabeça desencadeada por bruxismo

Por ser mais comum durante o sono, o Bruxismo pode gerar não só consequências e sintomas físicos, mas também problemas psicológicos, influenciando no aparecimento de alterações do sono, como insônia e apneia do sono, que podem causar efeitos extremamente negativos nas atividades do cotidiano do indivíduo.

Em geral, o fator desencadeante da condição ainda não é exato, embora que na maioria das vezes é presente  a má oclusão, ou seja, o alinhamento anormal dos dentes superiores ou inferiores do indivíduo. No entanto, ao mesmo tempo em que o Bruxismo pode fazer mal para o estado mental da pessoa, ele também pode ser causado por problemas psicológicos, como alta exposição ao estresse, ansiedade e outros distúrbios do sono. Contudo, vale ressaltar novamente que esses gatilhos têm mais relação aos fatores de risco em que a condição é encontrada, não sua causa em si.

Segundo pesquisas realizadas no Brasil, o distúrbio pode afetar adolescentes que sofrem com perseguições de colegas. Em outros países, fatores relacionados ao ambiente conturbado em que vivemos atualmente são o alvo dos estudos para a causa do problema, ou seja, o modo de vida agitado que levamos pode desencadear o ranger de dentes à noite em algumas pessoas.

Diagnóstico e Tratamento

mulher colocando placa para bruxismo

Em geral, pessoas que sofrem com Bruxismo descobrem a condição por conta das suas consequências, como dores na mandíbula, desgaste e sensibilidade nos dentes, entre outras. A partir dessas percepções, é importante realizar uma consulta médica para que o problema seja diagnosticado e tratado.

Os profissionais que podem realizar o diagnóstico são:

  • Clínico geral;
  • Odontologista;
  • Psiquiatra;
  • Fonoaudiólogo.

Após a avaliação dos sintomas descritos pelo paciente, o médico pode pedir para que exames sejam realizados, a fim de descartar a existência de outros transtornos que podem estar por trás das dores na mandíbula.

De uma forma geral, o tratamento para Bruxismo é realizado através do uso de placas interoclusais flexíveis de silicone ou placas rígidas de acrílico. No entanto, por estar relacionado a fatores emocionais, medicamentos ansiolíticos e terapias de relaxamento podem ser recomendados para controlar os quadros de estresse e ansiedade.

Prognóstico: Recomendações

  • Ter uma boa noite de sono é um dos principais requisitos para aliviar os efeitos do Bruxismo. Por isso, procure ir dormir apenas quando realmente estiver com sono, e evite atividades estimulantes que podem prejudicar o relaxamento profundo antes de ir para a cama.
  • Para aliviar a dor, busque aplicar gelo nos músculos da mandíbula.
  • Alimentos duros ou difíceis de mastigar, como nozes e balas, devem ser evitados, assim como mascar chicletes e pontas de canetas, entre outros objetos.
  • Realizar atividades físicas regularmente ajuda a reduzir os níveis de estresse e ansiedade que causam o Bruxismo, portanto, procure ter o hábito de praticar exercícios presente em sua vida.

Bruxismo tem cura? Como prevenir?

Infelizmente, ainda não existe uma cura para o Bruxismo. No entanto, os impactos que geralmente são desencadeados pela condição, como fraturas, sensibilidade e desgaste dentários, podem ser amenizados com um bom tratamento.

Por fim, é importante ressaltar que o problema nem sempre pode ser prevenido, uma vez que são vários fatores que levam ao seu aparecimento. No entanto, reduzir o estresse e tratar a ansiedade podem ajudar a evitar o Bruxismo em pessoas propensas à condição.

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/dpjo/v16n2/a08v16n2.pdf

http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72722015000100012

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *