Press "Enter" to skip to content

Entenda a percepção de mundo de quem sofre com Ansiedade

O Brasil é um dos países com os maiores índices de ansiedade no mundo: cerca de 9,3% da população brasileira sofre de ansiedade. Os dados são da própria Organização Mundial da Saúde e contempla cerca de 18,6 milhões de brasileiros. Fatores sociais e econômicos, como desemprego e a rotina em metrópoles, são decisivos para o surgimento do transtorno. A ansiedade não tem faixa etária específica para surgir. É comum vermos crianças e homens idosos sofrerem dos mesmos problemas de ansiedade, mesmo que a causa não sejam as mesmas.

Relógio mostrando os minutos borrados.

Mesmo com toda a informação que temos à nossa disposição, a ansiedade carrega um grande tabu consigo. O estigma de ficar letárgico ou viciados com o uso de remédios, a dificuldade para buscar tratamento, a reação da família… Todo esse tabu dificulta a busca por tratamento. É preciso desmistificar muita coisa em torno dos problemas mentais, principalmente ansiedade e depressão. Entenda melhor hoje como é a percepção de mundo de quem sofre com ansiedade.

O que é?

A ansiedade é uma reação exagerada à qualquer situação. É normal reagirmos de forma natural à situações que desencadeiem medo e pânico. Entretanto, a reação de quem sofre com ansiedade é desproporcional de forma que afeta a saúde mental e física. As reações podem ser desencadeadas por situações normais ou por situações imaginadas pelo ansioso. Biologicamente, o medo é um método de defesa de extrema importância em situações de risco. Para um ansioso, qualquer mínima situação pode ser um gatilho para uma crise de ansiedade.

Quais os sintomas?

  • Batimento cardíaco e respiração acelerados sem motivos;
  • Sensação de medo sem motivo aparente;
  • Suores excessivos;
  • Tremor;
  • Sensação de que irá morrer;
  • Enjoo e outros desconfortos estomacais;
  • Descontrole dos pensamentos.

Depoimentos

“Isso não é sobre as pessoas que se diagnosticam com alguma coisa, mas nem sabem o que é, nem que esses problemas são sofrimento. […] Não é legal, não é cool. É sofrimento. Dói, machuca, te atrapalha a viver. Não é ter aquelas fotos conceituais de Tumblr ou um feed com vários followers. Viver com ansiedade é calcular todas as coisas e pensar em tudo o que uma ação pode gerar; é premeditar tudo o que pode dar errado e se preparar para aquilo com uma dor no peito que sufoca; viver com a ideia de que tudo pode dar errado.

Medo de falar com as pessoas e achar que algo pode machucá-las; não falar com as pessoas por medo de incomodá-las; não parar de pensar que algo do que já disse fez com que ela pensasse determinada coisa sobre você. Sofrer por antecipação. Pensar, ao mesmo tempo, em tudo o que pode acontecer num determinado evento. O que pode dar certo, o que pode dar errado, como contornar o que der errado, o que pode dar errado ao tentar contornar o que já tava ruim antes. A mente vira um turbilhão de pensamentos concomitantes que só você mesmo entende. Imagens vêm e vão e vivencia-se situações que nem existem e talvez nem chegarão a existir. […]

Mas nem sempre algum fenômeno ataca ansiedade. Às vezes ela vem sem motivo, sem aviso, só vem. Aparece e de repente você se vê obrigado a lidar com ela de qualquer maneira. Você precisa lidar: não tem outro jeito. Precisa esperar passar toda a sensação ruim, deixar os pensamentos virem e irem embora.” – depoimento de Mare Alvares, você pode ler na íntegra aqui.

Pintura na parede de homem com as duas mãos na cabeça.

Existe Tratamento?

Existem diversos tratamentos. Podem ou não envolver medicação. Apesar de todo o tabu envolvido com doenças mentais, o tratamento costuma trazer benefícios. O primeiro passo é aceitar o problema e que ansiedade é uma doença. Depois disso, há vários tratamentos para recorrer, sendo um dos mais indicados a psicoterapia. Com a ajuda psicológica será indicado outros tratamentos como medicação, exercícios físicos, yoga, atividades relaxantes dentre outras.

O tratamento psiquiátrico orientado por um profissional costuma beneficiar principalmente quem sofre com sintomas físicos. Apesar do que muitas pessoas acreditam, raramente uma pessoa ficará viciada em remédios para ansiedade. O psiquiatra irá indicar doses apropriadas e acompanhará todo o tratamento, observando resultados e alterando dosagens se necessário. Raramente os remédios para ansiedade são tarja preta ou causam algum tipo de letargia. O que possivelmente pode acontecer é efeitos colaterais como sonolência ou agitação. É dever do psiquiatra observar e orientar em casos de efeitos colaterais.

 Funciona?

Se o paciente não abandonar o tratamento, o que é muito comum, funciona. O tempo de tratamento varia de caso para caso, mas o uso de remédios não deve ser permanente. Com o tempo, o paciente pode notar uma melhora nos sintomas de pânico, como ânsias de vômito, tremedeiras, suor frio dentre outros. A psicoterapia também funciona no tratamento para a ansiedade. Ao longo da terapia, a pessoa que sofre com ansiedade fica mais consciente sobre sua condição e sobre como controlar os pensamentos.

Para encontrar resultados positivos no tratamento, é preciso muita paciência e persistência. Importante lembrar que os remédios demoram cerca de um mês para surtirem efeito. O apoio da família e dos amigos é muito importante para a pessoa que sofre com ansiedade. Muitas vezes são essas pessoas que motivam o ansioso a seguir em frente com o tratamento em busca de uma melhora.

Pessoa com as pernas cruzadas em formato de meditação com os dedos entrelaçados sob o joelho.

Onde Encontrar?

Consultórios psicológicos costumam ser bastante comuns em cidades grandes. Quase todas as cidades possuem um Centro de Atenção Psicossocial, que oferece apoio psicológico de forma gratuita. O SUS também oferece consultas com profissionais da psicologia. O tratamento psiquiátrico pode ser um pouco mais difícil de encontrar, já que é muito comum haver um psiquiatra que atende em mais de uma clínica.

Preço

Os preços variam muito, tanto com psicologo quanto psiquiatra. Terapeutas costumam personalizar o preço conforme a condição financeira do paciente. Podem variar de R$50 a R$350 a consulta com um profissional. Psiquiatras costumam ser mais caros e o preço varia bastante conforme o plano de saúde ou a consulta particular. Com plano de saúde os preços podem variar de R$20 a R$100 a consulta. Consultas particulares podem variar entre R$250 a R$500.

 

Fontes:

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/brasil-mais-ansioso-do-mundo-segundo-a-oms/

http://www.saude.sc.gov.br/index.php/documentos/atencao-basica/saude-mental/ansiedade-generalizada/

http://www.scielo.br/pdf/diretrizes-tratamento-ansiedade.pdf

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *