Press "Enter" to skip to content

Você sabe o que é Misofonia? O som do ato de mastigar te irrita bastante?

Já imaginou não conseguir suportar os pequenos sons que estão ao seu redor o tempo todo, em quase todos os lugares públicos?

Mascar chiclete, mastigar alimentos crocantes, bater as pontas dos dedos sobre uma superfície, fazer clicks com a ponta da caneta ou até mesmo um estalar de língua vindo de outro são simples ações que podem causar muito incômodo para certas pessoas, fazendo com que elas se sintam sufocadas e irritadas e, consequentemente, procurem se afastar o mais rápido possível.

Parece loucura imaginar que coisas tão simples, como o ato de respirar, possam se tornar tão graves e prejudiquem o bem-estar de outros, mas não há nada de insano nisso. Ao contrário, se trata de uma condição crônica chamada Misofonia, que embora não seja muito conhecida, acomete diversas pessoas em todo o mundo.

O que é Misofonia?

mulher com mãos nos ouvidos, tentando evitar escutar sons incômodos por conta da misofonia

A Misofonia é um transtorno caracterizado pela aversão a certos sons, no qual a pessoa sofre com experiências emocionais bastante desagradáveis, como irritação, desconforto e sensação de sufocamento. Esses fatores fazem com que o misofônico sinta raiva da pessoa que está emitindo o barulho e, por isso, ele tende a se afastar ou até mesmo evitar ir à lugares onde possa se sentir incomodado.

Também conhecida como Síndrome de Sensibilidade ao Som Seletivo, a Misofonia é um distúrbio neurológico em que os estímulos sonoros são confundidos no sistema nervoso central. Dessa forma, mesmo que o som não seja alto, a pessoa não consegue se concentrar no que está fazendo por conta dos ruídos.

Em geral, o transtorno surge na infância e fica mais intensa com o passar do tempo, e acredita-se que sua causa esteja relacionada à fatores hereditários. Por isso, é extremamente importante que o problema receba atenção assim que os primeiros sinais de intolerância em relação aos sons sejam detectados, incluindo:

  • Mau-humor;
  • Agonia;
  • Irritabilidade;
  • Ataques de raiva;
  • Pânico para se afastar do barulho;
  • Apresentar agressividade ao emissor do som.

Principais sons que incomodam os Misofônicos

pessoa digitando no teclado, emitindo sons incômodos para misofônicos

As pessoas que sofrem com Misofonia não costumam se incomodar com sons altos, como o barulho de um liquidificador ou de uma música no volume máximo. Ao contrário, são os ruídos causados por pequenos atos do cotidiano que geram aflição e desconforto nos misofônicos.

Portanto, os principais sons que incomodam os indivíduos com esse transtorno são:

  • Sons produzidos pela boca – Mascar chiclete, mastigar algo crocante, estalar a língua, deglutição de saliva, beijar, escovar os dentes ou bocejar;
  • Sons produzidos pela respiração – Assoar o nariz, respiração ofegante, suspiros, roncos, espirros ou tosse;
  • Sons de voz – Sussurros, voz anasalada, assovio, pigarro ou uso de palavras de forma repetida;
  • Sons do ambiente – Teclas de teclado, tique-taque do relógio, páginas sendo folhadas, tamborilar de dedos sobre uma superfície, estalar de dedos, clicar a caneta, televisão ligada e ruídos produzidos por trem, avião ou motores;
  • Sons produzidos por animais – Latidos de cachorro, animais bebendo água, cantar de pássaros.

Por fim, é importante ressaltar que o incômodo causado pelos ruídos varia de pessoa para pessoa, pois depende do grau do distúrbio – leve, moderado ou severo.

Riscos

mulher sozinha, sentada ao lado da janela

As sensações geradas pelos barulhos não são apenas incômodas, mas sim insuportáveis para os misofônicos, influenciando no surgimento de ataques de raiva, que podem, ou não, se tornar agressivos. Consequentemente, muitos deles acabam sentindo culpa por desejarem o mal de quem está emitindo o som, e isso faz com que se isolem. Dessa forma, é bastante comum que tenham dificuldades para manter relações sociais, tornando a condição extremamente prejudicial para a qualidade de vida.

Além disso, por ser um transtorno pouco conhecido, os comportamentos causados pela Misofonia podem ser considerados irrelevantes para quem não sofre com o problema. A partir disso, muitas pessoas não respeitam o desconforto alheio e acabam não tendo cuidado ao realizar atos que podem irritar o misofônico, com a ideia de que suas reações são apenas uma “frescura”. Por esse motivo, os indivíduos portadores do distúrbio tendem a se afastar de familiares e amigos.

Em alguns casos sem diagnóstico ou tratamento, evitar o contato com os ruídos pode resultar em uma condição mais séria, na qual a pessoa sente medo de presenciar qualquer movimento que possa gerar o som.

Fonofobia

homem com medo causado pela fonofobia

A Fonofobia é um transtorno que pode ser considerado um caso mais grave de Misofonia. Nesse contexto, o indivíduo sente medo e pavor ao ouvir certos sons, incluindo barulhos muito altos, sofrendo com crises de ansiedade que podem resultar em ataques de pânico futuramente. Dessa forma, só a visão de alguém mascando chiclete, por exemplo, já é o suficiente para que a pessoa desenvolva sintomas físicos e psicológicos, como:

  • Arritmia;
  • Suor em excesso;
  • Estresse;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Dores de cabeça;
  • Falta de ar;
  • Crises de choro;
  • Desmaios.

Assim como na Misofonia, essa fobia compromete a qualidade de vida da pessoa, pois a mesma procura se afastar dos sons presentes no dia a dia. Por isso, é muito importante que se procure um médico caso sinta desconforto e medo extremo ao ouvir certos sons.

Diagnóstico

mulher consultando médica sobre os sintomas de misofonia

O diagnóstico de Misofonia é geralmente feito através de uma conversa com um especialista, na qual um questionamento será realizado para que os sintomas físicos e emocionais causados pela condição sejam identificados. Embora não seja uma doença do trato auditivo, é importante que um otorrinolaringologista acompanhe o procedimento.

Na maioria das vezes, se a pessoa acha que sofre com o problema, ela provavelmente tem o transtorno, uma vez que os sinais são bastante específicos. No entanto, exames de audiometria e sensibilidade sonora também podem ser feitos, a fim de avaliar a existência de doenças auditivas, assim como uma análise para verificar se a pessoa sofre com outros distúrbios, como Depressão e Ansiedade.

Misofonia tem cura?

Ainda não existe uma cura exata para a Misofonia, mas o tratamento através de medicamentos e terapia sonora pode ajudar no alívio dos sintomas causados pelos barulhos, eliminando-os com o tempo.

As três principais linhas de tratamento são:

  • Medicamentos para dor crônica, que atuam no processo de atenção do cérebro;
  • Terapia sonora, com o uso de geradores de sons neutros, monótonos e baixos, para reduzir a sensibilidade das via auditivas;
  • Bio Feedback, caracterizado por um treinamento do cérebro para que o indivíduo consiga realizar suas atividades quando está exposta aos sons que desencadeiam a Misofonia.

Por fim, é preciso ressaltar novamente que o tratamento para esse transtorno deve ser realizado o quanto antes, com acompanhamento médico de um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo. Dessa forma, é possível melhorar a qualidade de vida e evitar consequências negativas.

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v66n3/0047-2085-jbpsiq-66-3-0178.pdf

https://www.researchgate.net/publication/319950239_Misofonia_caracteristicas_clinicas_e_relato_de_caso

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *