Press "Enter" to skip to content

Você conhece o Fenômeno de Raynaud? Conheça todas as características dessa condição e saiba como tratá-la

A exposição à temperaturas muito baixas é capaz de gerar uma série de alterações no corpo humano. Em alguns casos, esses efeitos acabam se tornando visíveis, causando sintomas físicos nas mãos, pés, nariz e orelhas, que geralmente caracterizam o Fenômeno de Raynaud.

O Fenômeno de Raynaud, descrito pela primeira vez em 1862 por Maurice Raynaud, consiste na contração de pequenas artérias (arteríolas). Essa resposta vascular exagerada ocorre por conta do frio intenso ou situações de estresse extremo, acometendo de 3% a 5% da população, sendo mais comum em pessoas que vivem em lugares úmidos e de baixa temperatura.

Caracterizada pela troca de coloração nas extremidades do corpo, essa condição pode, em alguns casos, causar formigamento nas regiões afetadas. Por outro lado, a dor não é relatada com frequência pelos portadores, mas pode ocorrer durante um ataque quando os eventos se tornam intensos e frequentes.

Os principais sinais do Fenômeno de Raynaud incluem:

  • Palidez;
  • Cianose (coloração azul-arroxeada da pele, abaixo das unhas ou mucosas);
  • Rubor (vermelhidão).

Além disso, a condição inclui também duas classificações, caracterizando a causa do seu aparecimento. Dessa forma, ela é diagnosticada como:

Fenômeno de Raynaud Primário

A forma primária é extremamente mais comum do que a forma secundária, atingindo principalmente mulheres com idade entre 15 e 40 anos. Seu surgimento está relacionado a qualquer fator que estimule o sistema nervoso simpático (SNS), como a exposição ao frio ou estresse emocional que levam a contração das artérias.

Fenômeno de Raynaud Secundário

O Fenômeno de Raynaud Secundária é caracterizado por uma manifestação causada por outras doenças, ou seja, ele ocorre devido a outras enfermidades, principalmente as que atingem o tecido conjuntivo e doenças reumáticas autoimunes, que geram a contração dos vasos sanguíneos. Dessa forma, a condição costuma ser mais grave do que sua forma primária, exigindo um tratamento adequado.

Os principais fatores desencadeantes incluem:

  • Esclerose sistêmica;
  • Artrite reumatoide;
  • Aterosclerose;
  • Crioglobulinemia;
  • Hipotireoidismo;
  • Lesões;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Enxaquecas;
  • Angina;
  • Manifestações que ocorrem devido a certos medicamentos, como betabloqueadores, clonidina e os remédios para enxaqueca ergotamina e metisergida.

Causas

homem segurando sua própria mão

De uma forma geral, o funcionamento normal dos vasos sanguíneos é caracterizado por um sistema de controle que se inicia na pele, a partir dos sensores nervosos. Esses sensores são responsáveis por captar a temperatura e transportar a informação para o sistema nervoso, que irá interpretar o sinal e enviar uma resposta aos vasos na pele. Em temperaturas baixas, esses vasos se contraem. Em temperaturas altas, esses vasos se dilatam.

O Fenômeno de Raynaud ocorre quando há uma diminuição na oxigenação dos pequenos vasos sanguíneos, visível pela cianose, que é desencadeada pela vasoconstrição de artérias e arteríolas e redução dos níveis de sangue na pele. Dessa forma, ele é caracterizado por uma resposta vascular anormal, apresentando um aumento na liberação de moléculas vasoconstritoras, diminuição ou liberação menor dessas substâncias.

Sintomas

dedos atingidos pelo fenômeno de raynaud

De uma forma geral, a constrição das artérias dos dedos se manifesta rapidamente após a exposição ao frio e estresse emocional, podendo durar minutos ou horas. Normalmente se inicia quando os dedos das mãos e pés, principalmente os três dedos médios, apresentam placas pálidas ou azuladas, podendo gerar sensações de formigamento, dormência, queimação e alfinetadas. Essas áreas afetadas podem ficar avermelhadas ou azuladas após o fim do episódio, e o reaquecimento dessas regiões pode ajudar na restauração da coloração e sensibilidade normal.

Quando essas manifestações se tornam recorrentes, com mais tempo de duração, a pele afetada pode ficar lisa e rígida. Além disso, feridas dolorosas e pequenas podem surgir na ponta dos dedos das mãos e dos pés.

Diagnóstico

mulher consultando médico para diagnosticar fenômeno de raynaud

O diagnóstico do Fenômeno de Raynaud é geralmente realizado através de uma análise clínica e investigação da doença base. A partir disso, o profissional pode distinguir as formas primária e secundária através de estudos laboratoriais e exames, incluindo o exame vascular e o de sangue.

Na investigação, alguns dados clínicos podem ajudar a identificar a presença da condição em sua forma primária:

  • Manifestações que se inciam a partir dos 40 anos de idade;
  • Crises simétricas que atingem as duas mãos de forma leve;
  • Ausência de necrose tecidual ou gangrena;
  • Ausência de história e sintomas físicos que indicam a presença de outras doenças.

Por outro lado, no diagnóstico do Fenômeno de Raynaud secundário a outra doença, as seguintes informações devem ser observadas e avaliadas:

  • Manifestações que se inciam a partir dos 30 anos de idade;
  • Crises dolorosas que podem ser assimétricas e unilaterais de forma grave;
  • Diminuição do suprimento sanguíneo, causando lesões isquêmicas;
  • Presença de história e sintomas físicos que indicam que outras doenças estão associadas ao aparecimento do problema.

Como tratar?

O tratamento para a Síndrome de Raynaud depende principalmente do seu fator desencadeante, ou seja, se sua causa é primária ou secundária. Por isso, é extremamente importante que se procure um médico ao notar as alterações de coloração nas mãos ou pés.

Tratamento para o Fenômeno de Raynaud primário

Na forma primária, a terapia inclui a orientação para evitar a exposição ao frio e interromper o tabagismo. Além disso, técnicas de relaxamento ou aconselhamento também podem ser recomendadas, uma vez que o fator desencadeante do problema for o estresse emocional. No entanto, medicamentos são geralmente mais usados para o tratamento dessa condição, incluindo bloqueadores dos canais de cálcio vasodilatadores e pasta de nitroglicerina tópica. É importante ressaltar que betabloqueadores, clonidina e derivados de Ergot são contraindicados para quem sofre com o problema, pois os mesmos geram uma vasoconstrição que pode agravar os sintomas.

Tratamento para o Fenômeno de Raynaud secundário

O tratamento para o Fenômeno de Raynaud secundário tem como objetivo atuar contra a doença base. A partir disso, bloqueadores dos canais de cálcio e prazosina também são indicados, assim como antibióticos, analgésicos e, em alguns casos, o debridamento das úlceras isquêmicas através de procedimentos cirúrgicos. Prostaglandinas IV podem ter um efeito efetivo e ajudar no tratamento de pessoas que sofrem com isquemia nos dedos das mãos, no entanto, as mesmas não estão completamente disponíveis e seus papéis para a recuperação não estão definidos. Por outro lado, a simpatectomia cervical ou local não é muito indicada, mas é reservada para indivíduos que não respondem às outras medidas e tratamentos das doenças bases.

 

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/rbr/v49n1/06.pdf

http://www.scielo.mec.pt/pdf/ang/v7n1/v7n1a02.pdf

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *