Press "Enter" to skip to content

Veja o que pode causar mais danos ao cérebro infantil

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, grande parte do desenvolvimento cerebral ocorre na infância, principalmente nos primeiros anos de vida. Por isso, os simples cuidados de não deixar o bebê bater com a cabeça ou cair do berço são apenas uma base para que a criança cresça de forma saudável.

Muitos fatores influenciam na evolução do órgão nesse período, uma vez que mesmo após o nascimento, o cérebro ainda não está 100% formado e necessita de estímulos para que o processo ocorra da maneira certa. Dessa forma, é preciso que os pais tenham muita sabedoria e cuidado ao se relacionar com a criança, sendo necessário oferecer muito amor, carinho, canções, palavras e proteção para que as conexões sejam formadas.

Portanto, se uma boa educação e muito afeto são a principal chave para o desenvolvimento da criança, o que poderia desencadear danos ao cérebro infantil?

Para responder essa pergunta, é necessário primeiramente entender como o principal órgão do sistema nervoso é formado. Veja a seguir:

Desenvolvimento do cérebro infantil

bebê deitado, com mãos na cabeça

Segundo diversos estudos, o cérebro humano se desenvolve numa velocidade muito rápida até os 6 anos, com estímulos que partem das suas interações com os pais, familiares, cuidadores e outras crianças. Com isso, a evolução das funções cerebrais é feita com nutrição e outros cuidados, além da continuidade das relações da criança com outras pessoas e com o meio ambiente.

Além disso, é importante ressaltar que é durante essa fase que 90% das conexões cerebrais são estabelecidas, ou seja, as experiências que a criança vive, principalmente na primeira infância, atuam diretamente no seu desenvolvimento. Isso ocorre porque o cérebro, auxiliado aos órgãos que constituem os sentidos (visão, olfato, audição, paladar e tato), se apropria das informações por meio de estímulos adequados vindos do ambiente, tendo como referência, por muitas vezes, o comportamento dos pais, familiares e cuidadores.

Dessa forma, se a criança receber maus tratos ou for exposta a um cenário estressante, é possível que os neurônios não consigam realizar suas ligações, o que poder ser extremamente prejudicial para o desenvolvimento das suas habilidades de aprender, raciocinar e se relacionar socialmente.

O que pode causar danos ao cérebro da criança?

Por estar no período de transformação, o cérebro das crianças procura absorver tudo aquilo que lhe é apresentado. Dessa forma, uma vez que as influências em sua volta não são positivas ou não oferecem uma ligação de afeto e cuidado, muitos danos podem ser causados e prejudicar o seu desenvolvimento. Consequentemente, esses problemas irão refletir no futuro e interferir nas atividades e compreensão mental da criança e, por isso, devem ser evitados.

Os principais fatores que interferem no desenvolvimento cerebral da criança, causando danos graves, são:

Estresse tóxico

menina com mãos no rosto, presenciando a briga dos pais

Por muitas vezes, o estresse é o principal desencadeante de diversos distúrbios e outras doenças para os adultos. A partir disso, se pararmos para pensar em todos os efeitos negativos que esse sentimento pode causar em uma pessoa com mais idade, percebemos que ele pode ser ainda mais perigoso para as crianças, pois as mesmas ainda estão em fase de crescimento e desenvolvimento cerebral.

Ambientes incômodos, como um lar onde brigas são frequentes, desatenção, abandono dos pais, maus-tratos e abusos são alguns dos fatores que podem influenciar para o estresse infantil. Essa situações fazem com que o nível de cortisol se eleve, resultando numa descarga de adrenalina que pode causar a perda de sinapses e dificuldades futuras no processo de aprendizagem.

Além disso, embora que pareça certo encher o dia dos filhos com atividades, como escola, curso de idiomas, esportes e dança, assim como os adultos com o trabalho, a sobrecarga de responsabilidades pode fazer mal. Na infância, os efeitos podem ser ainda mais graves, uma vez que a criança ainda não tem maturidade e energia emocional para lidar com diversas situações.

Síndrome do bebê sacudido

pai ninando o bebê

Ao perder a paciência com o choro do bebê ou durante uma tentativa de fazê-lo pegar no sono, muitos pais ou cuidadores acabam chacoalhando a criança de forma intensa e descuidada, o que, para a surpresa de muitos, pode ser extremamente prejudicial para o cérebro do pequeno.

A Síndrome do bebê sacudido pode ocorrer quando adultos fazem movimentos rudes e inadequados em crianças menores de 2 anos de idade, como balançá-las para trás e para frente sem segurar a cabeça ou jogá-las pro alto em brincadeiras. Nos Estados Unidos, ela é considerada uma das principais causas de morte de bebês com menos de 1 ano, quando vítimas de algum tipo de abuso.

As consequências desses movimentos são extremamente negativas, uma vez que a agitação causada por eles pode resultar em sangramentos e falta de oxigênio no cérebro do bebê. Isso ocorre porque, nessa idade, os músculos do pescoço são muito fracos, e a criança ainda não tem força para sustentar sua cabeça de forma correta.

Pode ser bastante difícil para que os sintomas sejam identificados, uma vez que a criança não sabe se expressar. No entanto, é possível notar alguns sinais, como:

  • Irritabilidade;
  • Tonturas;
  • Dificuldade para respirar;
  • Falta de apetite;
  • Tremores;
  • Vômitos;
  • Pele pálida ou azulada;
  • Dores de cabeça.

Quando não tratado à tempo, a síndrome pode desencadear uma série de complicações futuras, como atraso no desenvolvimento, retardo mental, paralisia, perda de visão, perda da audição, convulsões, coma e morte.

Gritos

pai e filho gritando um com o outro

O costume de gritar para expressar a ideia de superioridade é bastante comum entre os adultos. No entanto, segundo alguns autores, elevar o tom de voz não quer dizer que você tem mais razão numa discussão. Para comprovar a teoria, alguns estudos foram realizados e apontaram que se você quer ter vantagem, o ideal é argumentar ao invés de gritar.

Ao gritar, o estado emocional acaba interferindo na transmissão das mensagens, fazendo com que as informações sejam passadas de uma forma distorcida para o próximo. Assim como para os adultos, as crianças também têm dificuldades para lidar com esse tipo de comportamento. Por esse motivo, os gritos podem causar danos extremamente graves para o cérebro infantil.

Segundo um estudo realizado na Universidade de Pittsburgh, os gritos frequentes a fim de educar acabam causando um efeito reverso e afetam diretamente o desenvolvimento psicológico da criança. Ou seja, ao invés de ensinar, os gritos na infância influenciam no aparecimento de comportamentos agressivos e sintomas depressivos na adolescência. Dessa forma, tratar os filhos com carinho tem efeitos muito mais positivos na educação, ajudando a reduzir problemas de desobediência.

Linguagem inapropriada

pai xingando o filho

O hábito de gritar, quando acompanhado de abuso verbal, xingamentos e humilhações, pode causar ainda mais estragos para o cérebro infantil. Isso ocorre porque esse tipo de comportamento não gera nenhum efeito positivo para o desenvolvimento cerebral quando se trata de aprendizagem ou repreensão. Pelo contrário, emitir palavras inapropriadas e fazer julgamentos com frequência na tentativa de educar ou ao perder a paciência pode afetar drasticamente o desenvolvimento psicológico da criança.

De acordo com um estudo realizado no departamento de psiquiatria da universidade Harvard Medical School, os comportamentos inadequados presentes em um lar problemático podem alterar a estrutura do cérebro da criança de forma permanente.

Para chegar nessa conclusão, os pesquisadores avaliaram 50 crianças com transtornos psiquiátricos causados por problemas familiares, comparando-as com 100 crianças saudáveis. A partir disso, notou-se que no primeiro grupo havia uma redução severa do corpo caloso, ou seja, na região que conecta os dois hemisférios cerebrais.

Desse modo, as criança com metades do cérebro menos articuladas apresentavam dispersão de atenção, assim como mudanças de personalidade e humor de forma mais precisa, comprometendo a estabilidade emocional e relações sociais com outras pessoas.

O que fazer?

Amor, carinho, afeto, respeito e cuidado. São esses os pontos principais que devem estar presentes na infância de uma criança, assim como pela vida toda da pessoa. Uma boa relação entre pais e filhos é essencial para que o desenvolvimento psicológico ocorra de forma adequada, pois a presença da figura adulta, como já visto anteriormente, serve como um estímulo para o cérebro infantil.

Fontes:

https://hms.harvard.edu/news/study-yelling-kids-comparable-physical-punishment

http://www.sbop.com.br/wp-content/uploads/2018/12/2013-CBO-Sindrome-do-Bebe%CC%82-Sacudido.pdf

http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v33n4/0103-166X-estpsi-33-04-00587.pdf

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *