Press "Enter" to skip to content

Como é o tratamento com o antidepressivo Efexor? Veja como ele funciona e quais as possíveis reações

Efexor é um antidepressivo da classe dos inibidores seletivos da recaptação da serotonina, norepinefrina e dopamina. Dessa forma, ele aumenta as quantidades desse hormônios no sistema nervoso, resultando na melhora sintomática da depressão e da ansiedade. A substância ativa de Efexor é o Cloridrato de Venlafaxina, comercializado em cápsulas de 37.5 mg, 70 mg ou 150 mg.

Para que serve o Efexor?

Efexor é indicado para o tratamento da depressão, incluindo depressão com ansiedade generalizada, além da prevenção da recaída e recorrência da depressão. Também é indicado para para o tratamento do transtorno de ansiedade generalizada, do transtorno de ansiedade social e do transtorno do pânico.

Composição:

Efexor é comercializado em embalagens de 7, 14 ou 30 cápsulas de liberação controlada. Elas podem ser de 37.5 mg, 70 mg ou 150 mg de Cloridrato de Venlafaxina.

Excipientes: celulose microcristalina, hipermelose, etilcelulose, tinta opacode vermelha (nas cápsulas de 37.5 mg e 75 mg) e tinta branca Tek-Print (nas cápsulas de 150 mg).

Composição das cápsulas: óxido férrico vermelho, óxido férrico amarelo, óxido férrico preto (nas cápsulas de 37.5 mg), dióxido de titânio e gelatina.

efexor para que serve

Contraindicações:

Efexor não deve ser utilizado em casos de pacientes que são alérgicos a algum dos componentes da fórmula, descritos acima. Outras pessoas que não podem fazer o tratamento com a Venlafaxina são os que já fazem algum tipo de tratamento antidepressivo com os IMAOs, inibidores da monoaminoxidase.

Posologia de Efexor:

  • Para depressão maior: a dose inicial recomendada é de 75 mg, administrada uma vez ao dia. Ela pode ser aumentada até, no máximo, 225 mg ao dia;
  • Para o transtorno de ansiedade generalizada: a dose inicial recomendada é de 75 mg, também administrada uma vez ao dia. A dose pode ser aumentada até, no máximo 225 mg ao dia;
  • Para o transtorno de ansiedade social (fobia social): a dose recomendada é de 75 mg, apenas uma vez ao dia. Não existem evidências de que doses maiores do remédio proporcionem algum benefício adicional;
  • Para o transtorno do pânico: a dose inicial de 37.5 mg ao dia deve durar por 7 dias. Depois, ela deve ser aumentada para 75 mg ao dia. Caso não surtirem efeitos, a dose pode ser aumentada até 225 mg, administrados uma vez ao dia.

Efeitos colaterais:

Os efeitos colaterais de Efexor são os seguintes:

Muito comuns: insônia, dor de cabeça, tontura, sedação, náusea, boca seca, constipação e hiperidrose (suor excessivo).

Comuns: diminuição do apetite, sonhos anormais, nervosismo, diminuição da libido, agitação, anorgasmia (inibição recorrente ou persistente do orgasmo), acatisia (impossibilidade de ficar parado), tremor, parestesia (queimação ou coceira da pele), disgeusia (distorção ou diminuição do paladar), deficiência visual, distúrbio de acomodação, midríase (dilatação da pupila), tinido (zumbido no ouvido), taquicardia, palpitação, hipertensão, ondas de calor, dispneia (respiração rápida e curta), bocejos, diarreia, vômito, erupção cutânea, prurido, suor noturno, hipertonia (tensão muscular mesmo em repouso), hesitação urinária, polaciúria (aumento do número de micções com diminuições no volume de urina), disfunção erétil, ejaculação anormal, fadiga, astenia (perda ou diminuição da força física), calafrios, perda de peso e aumento de peso.

Desmame no Efexor:

efexor efeitos colaterais

Quando o uso de Efexor é interrompido de maneira brusca, ele pode apresentar sintomas graves de abstinência. A recomendação é de que ele seja reduzido progressivamente, e de acordo com as recomendações de um médico. Quanto maior for o tempo de tratamento, maior deve ser o período de retirada, que pode acabar se estendendo por meses.

Normalmente, os sintomas sentidos pelos pacientes que deixam de tomar a Venlafaxina bruscamente são: dor de cabeça, náusea, irritabilidade, espasmos, tremores, vertigens e urticária. Algumas pessoas podem correr risco de derrame ou infarto, e por isso é importante contar com o acompanhamento médico na hora de parar com o remédio.

Nunca altere a dosagem administrada ou pare de tomar a Venlafaxina por conta própria. Consulte seu médico, porque o período necessário para a descontinuação gradativa pode depender da dose, da duração do tratamento e de cada paciente individualmente.

Diferença da Venlafaxina para a Desvenlafaxina:

Enquanto a Venlafaxina, princípio ativo do Efexor, pode trazer efeitos colaterais sérios e indesejáveis, como a perda da libido e o aumento de peso, a Desvenlafaxina apresenta um índice menor desses efeitos. A Desvenlafaxina é um antidepressivo da classe dos ISRSN (Inibidor da Recaptação da Serotonina e da Noradrenalina), mas com uma estrutura diferente: seu metabolismo é independente do CYP2D6, um complexo de enzimas do fígado. Isso significa que ele tem baixo potencial de interação medicamentosa, sendo mais vantajoso para os pacientes que fazem uso de outros medicamentos. Isso também implica na redução dos efeitos colaterais que atrapalham fatores importantes na vida do paciente, como a libido e o peso.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *