Press "Enter" to skip to content

10 Práticas da Sala de Aula para o Desenvolvimento Cognitivo

A escola é fundamental para o desenvolvimento e aprendizado das crianças. Quando falamos de desenvolvimento cognitivo, é importante lembrar que o ambiente escolar deve trabalhá-lo desde o primeiro dia de aula, levando em conta as características de cada fase e idade.

O que é Cognição?

A cognição diz respeito às habilidades mentais básicas para a construção de conhecimento sobre mundo, dentro da sociedade que a criança está inserida. Os processos cognitivos são aqueles relacionados ao raciocínio, pensamento, memória, abstração, imaginação, linguagem, entre outros.

Tudo isso permite que o ser humano, desde a sua criação nos primeiros anos de idade, saiba reconhecer o mundo à sua volta, julgando e solucionando problemas usando o raciocínio. Assim, o desenvolvimento cognitivo é importante para que o cérebro perceba, aprenda, pense e recorde informações captadas pelos sentidos.

Dessa forma, trabalhando a cognição, é possível construir o conhecimento, o pensamento crítico e a reflexão. Tudo isso acrescenta qualidade na eficiência da aprendizagem, além do desenvolvimento do ser humano como pessoa inserida na sociedade.

Como a Escola se Insere?

Desde os primeiros anos de idade, a criança deve ser colocada em situações que desenvolvam suas funções cognitivas primárias, como as sensações, que consequentemente ajudarão no aperfeiçoamento da percepção, da atenção, da memória, do raciocínio e da fala. Em seguida, devem ser desenvolvidas as funções mais complexas, como a leitura e a escrita, o raciocínio lógico, a dedução, a antecipação e a elaboração de estratégias.

Como a escola é um espaço primordial na vida da criança, é muito importante que ela acompanhe o desempenho dos alunos, além de investir em um ambiente adequado que estimule as habilidades cognitivas de cada um.

A atividade didática, para que tenha valor cognitivo, deve ser lúdica. É interessante que a escola adote atividades que divirtam os alunos, sem a atribuição formal de um processo educativo. Assim, a criança se atrai e aproveita mais. Enquanto se divertem, estudam sem mesmo se dar conta.

O professor deixa de ser um transmissor de conhecimento para ser um mediador e investigador. Deve observar os seus alunos e a maneira com que eles utilizam os seus recursos cognitivos, como processam, analisam, comparam e categorizam os problemas sugeridos. A partir disso, o educador conseguirá conhecer quais as habilidade mais e menos desenvolvidas de seus alunos.

Dessa forma, deverá elaborar um plano de aula que seja baseado no desenvolvimento e aprimoramento das habilidades, incentivando a reflexão crítica e a busca por respostas. Os planos devem contar com materiais e recursos diversificados, incluindo jogos, brincadeiras, pesquisas e atividades artísticas. Sair do modo tradicional e colocar a criança como parte ativa do processo de construção do conhecimento pode trazer bons resultados. O aluno passa a produzir, indagar, criar e modificar.

Práticas para aplicar em Sala de Aula

crianças brincando de adivinhação

1 – Adivinhação

Brincadeiras e exercícios que proponham adivinhações ajudam no desenvolvimento da capacidade de abstração, ligação e formação de ideias. Além disso, estimulam a criatividade e contribuem para a composição do imaginário infantil.

crianças brincando na água com baldes

2 – Brincadeiras com Água

Além de agradar os pequenos, brincadeiras com água podem ser uma ótima atividade para aquelas crianças mais agitadas. Pincéis e baldes de água limpa podem propor a limpeza de uma parede, por exemplo. Nos dias mais quentes, é uma boa pedida.

três meninas estudando e sorrindo

3 – Jogos de Silêncio e Imobilidade

Algumas atividades desafiam as crianças a ficarem em silêncio ou imóveis por um determinado tempo. Elas são ótimas para exercitar tanto o controle motor quanto o autodomínio das emoções. A boa e velha brincadeira de “estátua” é preferida dos pequenos.

meninas uniformizadas dançando

4 – Cantos e Danças

Brincadeiras que envolvem cantos, danças e movimentos – como a dança das cadeiras – são muito aproveitadas nas escolas infantis. Os ritmos equilibrados atuam na formação das sinapses auditivas das crianças, além de estimularem o surgimento de emoções positivas.

crianças brincando em grupo com corda ao ar livre

5 – Atividades ao Ar Livre

Mudar o ambiente da aula é muito interessante e apelativo às crianças, principalmente em dias de calor. O professor pode planejar atividades ao ar livre, permitindo o contato dos alunos com plantas e animais. Nesses momentos, é possível desenvolver o amor pela natureza e o senso de cooperação nas crianças, com uma aula que preza a importância da fauna e da flora do nosso planeta.

menina observando uma pequena planta

6 – Plantio e Jardinagem

Para despertar a sensibilidade ecológica das crianças, é interessante apostar no cuidado com as plantas, desde o plantio, passando pela rega das mudinhas e chegando ao resultado final. Escolas com espaço sobrando podem montar uma horta ou um jardim, onde os alunos são ensinados a plantar, cuidar e colher

criança brincando com os olhos vendados

7 – Olhos Vendados

Para ensinar sobre amizade e auxílio voluntário, o professor pode pedir para que as crianças guiem os colegas com olhos vendados. Isso cria, na turma, um senso de cooperação e ética solidária. Além disso, também trabalha a construção de vínculos de confiança, que apresentam grande impacto até a vida adulta.

Enquanto a criança que conduz aprende a desenvolver responsabilidade e respeito pelo outro, a criança conduzida constrói a confiança e se sensibiliza com as limitações alheias. É importante intercalar os papéis entre os alunos.

criança desenhando no fundo, com lápis de cor no primeiro plano

8 – Pintura e Desenho

Os rabiscos e as cores são de extrema importância para o desenvolvimento da criatividade, onde são expressos os sentimentos e a imaginação dos pequenos. Aposte em diferentes tipos de materiais escolares, como papel sulfite, cartolina, giz de cera, lápis de cor, tintas e pincéis.

Nesse caso, são permitidos os desenhos livres e também a reprodução de linhas, figuras geométricas e símbolos gráficos a partir de um modelo. As pinturas guiadas que estimulam o preenchimento completo do papel são bons exercícios cognitivos.

duas meninas desenvolvendo uma atividade escolar coletiva

9- Jogos Coletivos

Os jogos coletivos são muito significativos para o desenvolvimento das habilidades cognitivas. Aposte nas modalidades em que cada criança desempenhe uma papel importante para a execução da atividade em conjunto. Assim, ela terá o senso de responsabilidade social e autoconfiança despertados.

sala de aula com crianças utilizando aparelhos tecnológicos

10 – Atividades Digitais

É impossível fugir da tecnologia hoje. A proposta pedagógica que inclui celulares, tablets e computadores vai de encontro aos interesses dos alunos de hoje em dia. Assim, é possível fazer uma educação voltada para o futuro e utilizando todos os recursos que a internet tem a oferecer. Esse contato pode ir além da sala de informática e fazer parte da rotina escolar, com atividades lúdicas e criativas utilizando jogos educativos online, pesquisas e mais acesso ao conhecimento.

Todas essas atividades permitem que o aluno pratique, sinta e assimile os aprendizados utilizando tanto os sentidos quanto o conhecimento. Assim, o cérebro consegue criar sinapses que associam os relatos teóricos aos fatos práticos apresentados. Com a ajuda da escola, é possível formar indivíduos capazes de viver em grupos e capazes de fazer sua parte no ambiente em que estão inseridos.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *